As unhas podem informar mais sobre nossa saúde do que imaginamos. Alterações na coloração e no formato podem auxiliar no diagnóstico de várias doenças.

O dermatologista pode identificar desde uma simples carência de vitaminas até doenças graves, como o câncer.As unhas compreendem cerca de 10% das afecções da pele. O diagnóstico das unhas é realizado através do exame visual, com auxílio de uma lupa e com o dermatoscópio (para avaliação mais profunda da lesão). O dermatologista analisa toda a unha, verificando as deformações, manchas, depressões, sulcos, pontos coloridos e mudanças de aspecto.
Confira uma lista de doenças que podem ter seu diagnóstico facilitado pelo exame das unhas das mãos:
Doenças do Rim: Unhas brancas na metade proximal (perto da cutícula) e a outra metade vermelha na parte distal. Cirrose Hepática: Unhas brancas, com exceção da ponta (nas 10 unhas das mãos)Doenças do Pulmão: Unhas amareladas com espessamento e crescimento lento, com aumento da curvatura. Psoríase: Depressões(furinhos) na lamina ungueal.Anemia ferropriva e traumas repetidos na unha: Unha em colher Micose: Unhas Brancas, devido ao fungo.Trauma repetido na matriz da unha: Manchas brancas (são muito comuns)Hemorragia subungueal: Pequenos traumas na unha podem romper vasos de sangue embaixo da unha e provocar pontos de hemorragia (pontos vermelho escuro). Algumas drogas como a aspirina, também podem causar a hemorragia, mas a grande maioria dos casos ,é provocada por traumas. Unhas pálidas: pode ser um indício de anemia.Elevações ou feridas ao redor da unha: pode ser desde uma verruga até câncer de pele e precisa ser examinado pelo médico.Melanoma: o tipo mais perigoso de câncer de pele. Se a mancha se espalha para a cutícula ou dobras de uma unha é necessário procurar um médico imediatamente. 
Cuidados com as unhas:
– Manter unhas limpas e secas impede que cresçam microorganismos sob as unhas.
– Unhas grossas e difíceis de cortar: deixe-as imersas em água salgada e sabonete de 5 a 10 minutos e após aplique creme de uréia a 10%. Limpe-as normalmente.
– Cortar as unhas acompanhando a forma do dedo, com uso de tesouras apropriadas.
– Não roer as unhas.
– Usar lixa fina para deixar a unha sem espículas e lisas.
– Unhas encravadas. Evitar manuseá-las, vá ao podólogo ou dermatologista (se estiverem infectadas ou doloridas) 
– Usar luvas para lavar louça e usar produtos de limpeza.
– Evitar traumas (principalmente na manicure), contato com ambientes úmidos e substâncias químicas
A Dr. Daniela Graff é dermatologista, colunista sobre saúde da pele.
Fonte: Vila Equilibrio – Saúde