Endocrinologista dá dicas para segurar a ansiedade e comer somente o necessário durante a estação mais fria do ano

O Inverno é uma estação cheia de tentações
Um estudo da Universidade da Geórgia, nos Estados Unidos, rastreou o quanto as pessoas comiam em cada estação do ano e com que rapidez comeram. O resultado foi que os entrevistados consumiram cerca de 200 calorias a mais por dia a partir do outono, principalmente quando os dias ficaram mais escuros. Um segundo estudo explica que, quando há menos luz, as pessoas tendem a comer mais e comer mais rápido e a atitude está voltada ao instinto humano.
Mauro Scharf, diretor médico e endocrinologista do Delboni Auriemo Medicina Diagnóstica explica que nem todos os especialistas concordam com essa teoria. “Alguns dizem que não é instinto mas sim o ambiente que nos leva a comer mais. Muitos acreditam que ter menos afazeres e compromissos, além de menos oportunidades para o exercício são os fatores que contribuem para o aumento do consumo, assim como as férias em si”, diz o endocrinologista.
Segundo ele, durante o inverno, o apetite aumenta porque o gasto energético é maior. “Por causa do frio, o organismo se esforça mais para manter a temperatura do corpo normal”. Além disso, nesta época acontece uma diminuição na produção de serotonina, um neurotransmissor que promove a sensação de bem-estar. “Para suprir esta sensação de tristeza e desânimo, a maioria acaba compensando com os alimentos”, reflete.
O médico diz que, com esse aumento da fome, as pessoas ficam propensas a comer alimentos ricos em gorduras e açúcares, o que pode acarretar no aumento de peso indesejável. “E, em casos mais sérios, problemas de saúde como o aumento do colesterol e triglicérides”, alerta. 

 

Sugestões para manter a boa forma no inverno
  • Tente não confundir fome com tédio. Se você está sem nada para fazer, beba um copo de água e encontre algo para se ocupar. Se você ainda tem fome depois de 20 a 30 minutos, você provavelmente está realmente com fome. Faça pequeno lanche, algo menos calórico, como uma fruta;
  • Mantenha sua rotina de exercícios, nem que tenha que usar roupas extras para fazer seus treinos em ambientes abertos;
  • Não se prive dos alimentos que você ama. É só encontrar uma maneira de se encaixar estes alimentos em seu cálculo de calorias, mas de uma forma esporádica e compensatória, ligada ao dia de maior gasto energético, de mais exercícios, por exemplo;
  • Cuide da hidratação. Muitas pessoas no frio acabam deixando de beber água. É necessário tomar uma média de dois litros por dia. Esse consumo pode variar em dias mais quentes ou mais frios e em dias com maior ou menor atividade física;
  • Evite massas, que são muito calóricas, principalmente aquelas preparadas com molhos brancos e outros ingredientes com alto teor energético;
  • Reduza o consumo de derivados do leite, como creme de leite, queijos amarelos e manteiga.
  • Cuidado com chocolate, nozes, castanhas e avelãs. Eles são nutritivos, contêm boa gordura, mas são muito calóricos;
  • Curta o inverno usando mais bebidas quentes e pouco calóricas. E lembre-se que este é um excelente momento para descobrir os diferentes sabores dos chás, por exemplo.
fotos: google