Uma pesquisa bem interessante foi realizada pela empresa Allergan sobre a beleza feminina do ponto de vista das mulheres o Brasil é um dos 16 países que integraram o estudo

O estudo chamado de “The Changing Face of Beauty: A Global Report”, revela que as mulheres estão mais conscientes e abertas a melhorias estéticas e têm controlado a forma que o envelhecimento afeta sua aparência, como uma maneira de se sentirem mais confiantes em si mesmas.

Em um dos maiores projetos de pesquisa realizados na área de estética médica, o estudo reúne opiniões sobre beleza e envelhecimento de cerca de 8 mil mulheres em 16 países: Alemanha, Austrália, Brasil, Canadá, China, Coreia do Sul, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Itália, Japão, México, Reino Unido, Tailândia e Turquia.

Crédito: Thinkstock

Ao focar em como as mulheres encaram o envelhecimento

  • Europa – É aceito com maior naturalidade e sutileza
  • Asiá – Querem uma transformação mais óbvia
  • Oriente Médio – Querem ficar mais bonitas com resultados rápidos e eficientes que ressaltem suas melhores características.

No entanto, todas concordam e estão unidas pelo desejo cada vez maior de controlar como sua aparência evolui com o passar do tempo. E se utilizam de diversos recursos para isso: filtros em fotografias, maquiagens ou procedimentos estéticos, pois, entendem que investir na beleza é a maneira que escolhem para influenciar positivamente a própria imagem.

Principais resultados da pesquisa 

Nova perspectiva da beleza: Ficando bonita para MIM
• Para mulheres que buscam tratamento estético, o desejo de aumentar a autoconfiança (42%) é tão importante quanto melhorar a estética da pele flácida (42%).
• Quase três quartos (74%) das mulheres se esforçam para ficar bonitas para si mesmas, em primeiro lugar. O parceiro (37%) e os amigos (15%) têm menos influência nisso.
• O “embelezamento” em geral (63%) é uma motivação mais importante do que lidar com os sinais de envelhecimento (50%), exceto na China, onde mudar ou aprimorar alguma característica específica é o principal desejo de quem busca tratamentos de beleza.

“Houve uma verdadeira mudança de comportamento nos últimos anos. Hoje em dia, o que mais importa para as mulheres é como elas se sentem em relação a si mesmas. Ainda que recorram a isso por motivos estéticos, por exemplo, para tratar de linhas e marcas de expressão, a verdadeira meta é se sentir bem e melhorar a aparência”, afirma o cirurgião plástico brasileiro de renome mundial, Dr. Mauricio de Maio. “Algumas pedem para ter uma aparência menos cansada e mais saudável, outras querem parecer mais jovens e atraentes. Quando atendo mulheres, dedico o tempo necessário para entender a motivação emocional por trás das mudanças que elas querem fazer – não é mais apenas uma questão de que elas querem corrigir alguma queixa específica, e sim de como querem se sentir depois do tratamento”.

Colocando o rosto no centro das atenções: a qualidade da pele é o novo ideal de beleza
• Ao definir a beleza exterior, a qualidade e o aspecto da pele (56%) são tão importantes para as mulheres quanto as formas do corpo (56%).
• As palavras usadas para descrever a qualidade da pele – por exemplo, “aspecto”, “brilhante”, “limpa”, “impecável” – são as mais frequentes da beleza feminina.

“Nestes tempos de documentação digital, as mulheres vêm se aproximando muito mais do espelho para conferir como sua imagem vai aparecer na tela e nas selfies. Por isso, agora mais do que nunca, a pele está sob os holofotes”, diz o dermatologista, Dr. Otavio Macedo. “Num passado recente, muitas se concentravam nas rugas, mas agora ter uma pele de aparência saudável, com elasticidade e luminosidade, está no topo das prioridades”.

Injetáveis: uma escolha de beleza para mulheres em todo o mundo
• 65% das mulheres concordam que preenchimentos faciais são mais aceitos socialmente hoje em dia do que eram há cinco anos.
• Os maiores níveis de aceitação foram observados na Tailândia (80%), Brasil (76%) e México (76%). Os três principais países que fazem uso de preenchimentos faciais ou consideram fazê-lo são Turquia (96%), Tailândia (90%) e Brasil (72%).
• 57% das mulheres acreditam que preenchimentos faciais podem ter aspecto natural, mas 21% delas ainda se preocupam em ficar com uma expressão “congelada”.
• A parte do rosto que a maioria das mulheres tem interesse em valorizar é a região sob os olhos (olheiras), com 66% delas preocupadas especificamente com as bolsas abaixo dos olhos.
No Brasil, as mulheres estão mais interessadas em corrigir manchas de idade (81%), enquanto, na China, 40% delas querem melhorar as bochechas.

Principais pontos sobre o Brasil

• Quando questionadas sobre quais palavras representam o que é a beleza feminina, 21% das mulheres responderam algo relativo à “pele” (por exemplo: bonita, brilhante, limpa, sem rugas, impecável, bronzeada). Seguida de “estilo” (19%), “cabelo” (14%) e maquiagem (13%) – este último, impulsionado pela faixa-etária mais jovem, de 18 a 35 anos.
85% das brasileiras disseram que querem ter boa aparência para si mesmas, 40% indicaram que para seus parceiros e 19% fazem para a família.
• Perguntadas sobre qual é a sua versão mais bonita, a beleza interior ou a exterior, 46% acreditam que a beleza externa é mais importante do que a interior, 37% indicam o inverso e somente 16% responderam que há um equilíbrio entre os dois pontos.
• Sobre a aceitação do uso de preenchedores faciais, os números por aqui são impressionantes: 76% acreditam que o procedimento se tornou mais aceitável nos últimos 5 anos e, o mesmo índice, disse acreditar que o tratamento promove um visual natural.
• Manchas na pele, causadas pelo envelhecimento, são a maior preocupação, indicada por 81%. Mas, se fossem escolher uma parte do rosto para realçar, 52% indicaram os olhos. E, 43% já realizaram algum procedimento ou consideram seriamente a possibilidade de realçar/modificar ou tratar a área ao redor dos olhos para ter o visual desejado, especificamente, na faixa entre 50-65 anos, esse valor sobe para 47%.
• Entre as que consideraram se submeter a um procedimento com injetáveis, 48% disse que a principal motivação é aumentar a autoconfiança e se sentir bem consigo mesma. Já 40% indicou que o incentivo seria ter uma aparência mais atraente e 39% respondeu que o aparecimento de linhas finas (rugas) as levaria a considerar o uso de injetáveis.
• 34% respondeu que uma pele bonita é o fator mais importante quando questionadas sobre a definição de beleza exterior (esse ponto foi o mais indicado no Brasil e mais mencionado por aqui do que em qualquer outro país da pesquisa).

Para obter mais informações no site da Allergan ou no portal  www.alemdabeleza.com.br.

Sobre a pesquisa
• A Allergan realizou entrevistas online com 7.700 mulheres em 16 países, entre 21 e 29 de março de 2016.
• O trabalho de campo foi realizado com mulheres “esteticamente conscientes” na faixa etária de 18 a 65 anos nos seguintes países: Alemanha, Austrália, Brasil, Canadá, China, Coreia do Sul, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Itália, Japão, México, Reino Unido, Tailândia e Turquia.
• 500 entrevistas foram realizadas em cada país, exceto naqueles com populações femininas menos ativas online (Coreia do Sul, México e Turquia), onde foram feitas 400 entrevistas por país.